quarta-feira, 10 de agosto de 2022

Atletas caruaruenses participam da segunda Etapa do Circuito Pernambucano de Karate Olímpico

Na segunda Etapa do Circuito Pernambucano de Karate Olímpico, que aconteceu na cidade de Bezerros, no domingo (05), 19 atletas da Associação Santana Dojo de Karate Olímpico competiram representando Caruaru. A entidade, que foi uma das aprovadas no edital do Chamamento Público da Prefeitura de Caruaru, se consagrou campeã geral do evento e ainda revelou 17 medalhistas de ouro, cinco de prata, e três de bronze, nesta competição.

Os atletas campeões de ouro foram: Guilherme Libório, Gustavo Libório, Marco Aurélio, Letícia Albuquerque (duas medalhas), Isabela Iasmim, Estivem Gabriel, Milena Stefani (duas medalhas), Carlos André (duas medalhas), Nicoly Santana, Letícia Iasmim, Daniel Tabosa, Jenniffer Santana e José Vitor. Gabriel Santana, Camila Silva e Gustavo Libório ganharam prata. Já José Cristian (duas medalhas), Felipe Tabosa e Eduarda (sininho) se destacaram com a medalha de bronze.

A associação Santana Dojo de Karate Olímpico recebeu apoio para esta competição da Gerência de Esporte e Lazer da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SDSDH), pela Prefeitura de Caruaru.

Crédito da foto: Divulgação Santana Dojo

Ação farmacêutica gratuita em Caruaru

No dia 5 de maio foi comemorado o Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos. Por isso, nesta terça (7), moradores de Caruaru poderão contar com uma manhã de atividades voltadas à saúde.

Estão tendo palestras educativas, consulta farmacêutica com orientação sobre o uso racional de medicamentos, aferição de pressão arterial, orientação nutricional para hipertensos e diabéticos, planejamento familiar, avaliação de pele e orientação sobre fotoproteção, teste rápido para HIV e hepatites, acupuntura e aplicação de ventosas, orientações sobre homeopatia e uso de plantas medicinais e fitoterápicos. Haverá, ainda, oficina de flores de EVA e aula de zumba.

A ação, realizada pela Secretaria de Saúde de Caruaru, por meio da Gerência de Assistência Farmacêutica, acontece das 8h às 12h, no estacionamento do Centro de Saúde Ana Rodrigues, no Bairro São Francisco.

Na data também está sendo comemorado um ano da requalificação da Farmácia São Francisco II.

Fonte: Diario de Pernambuco

I Simpósio de Processo Penal do Agreste

A OAB Caruaru, através da Comissão de Processo Penal, Execuções Penais e Sistemas Prisionais, realizará, no dia 15 de maio, no auditório do Senac, o I Simpósio de Processo Penal do Agreste. Trata-se do primeiro evento dessa natureza na região.

O simpósio, que vai debater o Projeto de Lei Anticrime, terá a participação de conceituados palestrantes da área: Ademar Rigueira, Jessica Lima, Pierre Souto Maior, João Américo e Bóris Trindade. A programação inclui debates e o lançamento dos livros ‘Alvará de Soltura, Meu Amor’, de Bóris Trindade, e ‘Tributo a Afrânio Silva Jardim’, de Pierre Souto Maior.

Serviço
O quê: I Simpósio de Processo Penal do Agreste
Quando: 15/05/2019
Horário: 18h30 às 22h
Onde: Auditório do Senac (Av. Maria José Lyra, 140, Indianópolis).
Valores: R$ 30,00 (advogados e público-geral); R$ 20,00 (estudantes e jovens advogados)
Vagas limitadas
Inscrições: http://bit.ly/SimposioProcessoPenal

Edilson Silva e Albanise Pires anunciam desfiliação do PSOL

O ex-deputado estadual Edilson Silva, e a ex-presidente do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) em Pernambuco, Albanise Pires, além da também ex-dirigente estadual Gaby Conde, dentre outros filiados, anunciam na noite desta segunda-feira (6), suas desfiliações da legenda. A principal alegação são as perseguições e constrangimentos constantes por parte da maioria da direção estadual.

Edilson e Albanise, inclusive, são fundadores do partido, além de membros da Executiva Nacional da silgla. Os desfiliados do PSOL pretendem manter-se unidos em um Coletivo local, refazendo a partir do qual manterão debates, elaboração de análises políticas e, principalmente, atuar na resistência contra o governo Bolsonaro, a prioridade política numero um do coletivo que surge.

Sobre 2020, segundo Edilson, o grupo deve debater isto coletivamente, mas é certo que terá candidatura proporcional no Recife, o que importará em buscar um novo partido após um amplo diálogo. Apesar das criticas à direção estadual, os agora ex-psolistas fazem referência elogiosa à Direção Nacional do partido, deixando claro que o litígio é sobretudo local, mas que também há divergências de natureza política com a situação nacional do partido.

Edilson foi fundador do partido, candidato ao governo do Estado por duas vezes e à Prefeitura do Recife também por duas vezes. Era, até então, o integrante mais antigo da Direção Executiva Nacional, desde 2004, quando o PSOL ainda era uma legenda provisória em processo de fundação. Foi o primeiro parlamentar eleito pelo PSOL em Pernambuco, para o cargo de deputado estadual em 2014, não se reelegendo e argumentando que o fato do partido lhe negar espaço na propaganda de rádio e TV foi fundamental para a não reeleição.

Albanise Pires também é fundadora do PSOL, desde 2003, quando das primeiras reuniões preparatórias para a formação do partido. Sempre ocupou a Executiva Estadual desde então, chegando a presidir o partido no Estado até 2017. Era membro do Diretório Nacional e foi membro da direção executiva Nacional por duas gestões. Foi candidata a vice prefeita do Recife pelo PSOL, estava como primeira suplente de vereadora no Recife e teve 142 mil votos para o Senado em 2018.

Gaby Conde, arte educadora e militante da cultura popular, era membro da direção Executiva Estadual, estreou como candidata a deputada federal em 2018, obtendo quase 7 mil votos.

Folhape

Incêndio atinge parte da Feira da Sulanca de Caruaru

Um incêndio atingiu, no início da noite da segunda-feira (6), parte da Feira da Sulanca de Caruaru, no Agreste de Pernambuco. O fogo se alastrou no setor da Brasilit, local de predominante venda de roupas, e que conta com 40% do total de bancos da sulanca – ao todo, nove mil bancas comercializam produtos no local. Ainda não há informações sobre o que provocou o fogo e o número comerciantes que tiveram suas mercadorias atingidas.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o incêndio tomou conta de algumas bancas da Feira da Sulanca por volta das 18h. Ao todo, foram enviadas três viaturas para a contenção do fogo, sendo dois caminhões- tanque e um caminhão de autocomando. O fato de não haver hidrantes nas proximidades do local obrigou um pedido de apoio do Corpo de Bombeiros do município de Bezerros.

A situação foi controlada por volta das 20h. Não houve registro de vítimas. Além da falta de hidrantes, um outro problema dificultou o trabalho dos bombeiros. Pelo fato de a área ser predominantemente para o comércio de roupas, há muitos “tecidos novos”. Como o trabalho dos bombeiros não encharcou os tecidos, a pouca absorvição de água facilitou a propagação do fogo.

O incêndio motivou o governo do município a montar um comitê de solução de crises. “Inclusive alguns secretários se reuniram, logo após tomarem conhecimento da notícia. Vamos discutir, aqui, futuras ações para minimizar essas possibilidades de incêndio”, disse o coordenador de Defesa Civil de Caruaru, Kleber Aleksander, que não descartou a possibilidade de um curto circuito ter dado origem ao incêndio. “Ainda é muito cedo para chegarmos a esta conclusão”, completou. Além do Corpo de Bombeiros e da presença de membros da Defesa Civil, uma equipe da Secretaria Especial da Feira esteve no local do incêndio.

A Feira da Sulanca de Caruaru conta com mais de nove mil sulanqueiros cadastrados. No local, são comercializados diversos tipos de mercadorias e a área recebe centenas de feirantes e compradores ao longo do ano. Esse não é o primeiro incêndio na feira – mas pode ser o maior. Em novembro de 2018, um incêndio de pequenas proporções atingiu o local, depois que populares colocaram fogo em uma área de vegetação nos arredores da feira. Já em maio de 2017, 25 pontos comerciais localizados no espaço Brasilit pegaram fogo.

Folhape

A crise mora ao lado

Dois presidentes, duas casas legislativas. A comunidade internacional divide-se entre os dois presidentes, com apoios e ameaças ao lado opositor, frases do tipo: “todas as alternativas estão na mesa”, ou do outro lado palavras cunhadas com o ar de ameaça indicando que poderá haver “graves consequências” se continuar a dar “passos agressivos”.

No meio dessa crise, encontramos um povo dividido, sofrido e sem alternativas para uma solução democrática pacífica a curto, médio e longo prazo, que devolvesse a normalidade institucional da Venezuela. Mas, por outro lado, ao lançarmos um olhar para a história da Venezuela, parece que a normalidade institucional é a anormalidade institucional com brigas, golpes e deposições, em um ambiente de instabilidade.

Nosso vizinho rico, membro da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), vive uma crise, que se repete, ao que me parecer ser o que o cancioneiro popular brasileiro diz: “eu vejo o futuro repetir o passado”.

Ao longo de sua história, a Venezuela foi governada por diversas ditaduras e oligarquias conservadoras, desde a revolução de 1858 liderada por Julián Castro, passando por diversos períodos históricos, pequenas ditaduras militares, e outros governantes sempre sucederam-se no poder por golpes, deposições, revoluções e revoltas militares, culminando sempre em ditaduras, se alternando no poder regimes de esquerda e direita.

Ainda em uma superficial análise histórica da Venezuela, verificamos que o instrumento legitimador e mantenedor de um regime no poder sempre foi as forças armadas, que, ao largo da história, possuem influência, ascendência e participação em quase todos os governos venezuelanos, em todos os períodos históricos, desde os idos da chamada proclamação da independência de Caracas, tendo como líder máximo desse movimento o imortal Simón Bolívar.

Concluímos então que a solução da crise da Venezuela passa diretamente pela decisão dos militares em apoiar ou não, aquela ou aquele, que possuem mais simpatia entre as tropas, garantido lógico os privilégios dos militares e mantendo o poder nas mãos do governante de ocasião pela força das armas.

Desse modo, podemos afirmar que a saída para a crise na Venezuela não está mas mãos da comunidade internacional, nem nas pressões da política externa, ou por meio de mobilizações internas, que só geram caos. Não é o povo venezuelano que vai tirar o país da crise e, sim, as forças armadas.

Na Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) está a solução para o caso que o nosso vizinho foi mergulhado.

25 partidos deixaram de cumprir cota financeira para mulheres em 2013, diz TSE

O Tribunal Superior Eleitoral concluiu o julgamento da prestação de contas dos partidos políticos referente ao ano de 2013. O resultado mostrou que 25 das 32 legendas existentes naquele ano deixaram de investir os 5% da valor recebido pelo Fundo Partidário em ações para incentivar a participação política de mulheres. Esse descumprimento contribuiu para que 14 partidos tivessem as contas reprovadas e 18 aprovadas com ressalvas. Ao todo, cerca de R$ 18,461 milhões terão de ser devolvidos aos cofres públicos com juros e correção monetária.

Os ministro adotaram a regra de reprovar as contas dos partidos que já tinham, em anos anteriores, apresentado problemas com o cumprimento do que diz a Lei dos Partidos Políticos sobre programas de incentivo à participação feminina na política. Este foi o caso do Democratas, que recebeu em 2013, aproximadamente R$ 18 milhões em recursos públicos e, de acordo com o ministro relator da prestação de contas, Og Fernandes, aplicou somente R$ 148, 4 mil dos R$ 905,8 mil que deveriam ser usados para o incentivo à participação das mulheres. O relator destacou que conduta similar foi verificada nos anos de 2010, 2011 e 2012. O DEM terá de devolver R$ 398 mil.

Em nota, o partido afirmou que já começou a cumprir as sanções aplicadas pelo TSE às contas de 2013 pelo não investimento do valor mínimo nas políticas de promoção da participação feminina na política. “Além disso, preocupado em promover a ascensão da mulher na política, o Democratas Nacional aprovou resolução – durante reunião da Executiva Nacional realizada em julho de 2018 – que determinou a transferência direta das verbas do Fundo Eleitoral para a conta bancária das candidatas mulheres que disputaram as eleições pela sigla”, acrescenta a nota.

As contas do PDT foram reprovadas nesta mesma lógica, mas o partido tem outras pendências, como a falta de comprovação de despesas com transporte e por isso foi multado num valor maior: terá de devolver R$ 2 milhões aos cofres públicos. A reportagem entrou em contato com a legenda e aguarda posicionamento. PP e Avante (na época PTdoB) integram o grupo de reincidentes que tiveram as contas reprovadas, em partes por causa da não aplicação de recursos na cota financeira para mulheres.

O TSE tem até cinco anos para julgar a prestação de contas nacionais dos partidos políticos, por isso os documentos de 2013 terminaram de ser julgados este ano, no limite. A sanção mais aplicada pelo tribunal é determinar que as legendas destinem, de forma compensatória, mais recursos para as mulheres nos anos posteriores à reprovação ou à aprovação das contas com ressalvas.

Termômetro

Em 2017, 17 legendas já tinham apresentado problemas de não cumprimento da cota financeira para promoção da participação políticas de mulheres e recentemente as regras se tornaram ainda mais rigorosas. A eleição de 2018 foi a primeira em que o partidos receberam via Fundo Eleitoral recursos para custear as campanhas políticas e 30% do valor obrigatoriamente teve de ser destinado para candidatas mulheres. Por isso, a postura adotada pelo Tribunal Eleitoral na análise das contas passadas pode ser termômetro para o que estar por vir.

Dúvidas sobre o cumprimento da nova regra de financiamento de campanhas de mulheres, iniciada em 2018, já geraram investigações. Na última segunda-feira (29), a Polícia Federal deflagrou a Operação “Sufrágio Ostentação”, que apura suspeita de que teria ocorrido no PSL de Minas Gerais desvio de recursos do Fundo Eleitoral que deveriam ter sido aplicados em campanhas de candidatas na última eleição. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, estaria envolvido no caso, ele era o dirigente estadual do partido durante a campanha de 2018. Ele nega as acusações.

Fonte: Congresso em Foco

Bolsonaro recua e diz que vai à NY; Presidência da República ainda não confirma

O presidente Jair Bolsonaro recuou da decisão de cancelar viagem aos Estados Unidos, marcada para o próximo dia 14, para participar de um jantar de gala promovido pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, no qual será homenageado com o prêmio de “Pessoa do Ano”. Ao sair do carro para cumprimentar apoiadores na porta do Palácio da Alvorada, neste domingo, Bolsonaro afirmou “Eu vou para os Estados Unidos. Eu vou para os Estados Unidos”, rapidamente ao ser questionado sobre o tema por jornalistas.

O Congresso em Foco procurou a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto nesta segunda-feira, que disse que ainda não há confirmação sobre a viagem. Na sexta-feira, o Palácio divulgou nota à imprensa informando que o Bolsonaro havia decidido pelo cancelamento da viagem e da agenda que cumpriria na cidade de Miami, em função da “pressão de grupos de interesses sobre as instituições que organizam, patrocinam e acolhem em suas instalações o evento anualmente”, o que, segundo a nota, caracterizou “ideologização da atividade”.

O evento em que o presidente brasileiro seria homenageado começou a ser alvo de resistência no mês passado, quando o Museu de História Natural de Nova York se recusou a receber o jantar da Câmara de Comércio. Seguiram-se manifestações pressionando patrocinadores e marcas a não destinarem dinheiro para o evento.

No sábado (4), o democrata e prefeito de Nova York, De Blasio, crítico do presidente americano Donald Trump, que já havia dirigido críticas a Bolsonaro, chamou-o de “valentão”, e disse que o brasileiro “fugiu” ao cancelar a viagem.

Fonte: Congresso em Foco

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Festival do Jeans de Toritama comemora recorde de público em sua 18ª edição

Entre 2 e 4 de maio, a cidade de Toritama, no Agreste de Pernambuco, passou a ser, também, a “Capital da Moda”. Isso porque a 18ª edição do Festival do Jeans de Toritama (FJT) mostrou à região as principais tendências para o outono-inverno e as cerca de 60 marcas parceiras levaram aos visitantes suas novas coleções.

A edição deste ano bateu recorde de público, estimado em 20 mil pessoas nos três dias de evento. Confeccionistas, atacadistas, representantes, influencers e estilistas prestigiaram o maior encontro de moda do estado. “O evento está lindo, muito bem organizado, com uma grande e ótima estrutura. É realmente inspirador. Com certeza, não pode sair do nosso calendário. Fomenta a economia local e leva nossos produtos para todas as regiões”, elogiou Alanne Lopes, empresária no ramo de confecção.

Patrocinadora master do Festival pelo quarto ano consecutivo, a Santana Textiles realizou dois desfiles, uma na quinta (03) e outro no sábado (04), no qual carregou a bandeira de Toritama, uma forma de demonstrar o valor que tem o município, o maior produtor de peças de jeans do Brasil. “É o maior evento da região, sem dúvida. A gente não entra no Festival em benefício próprio, entra para dar um suporte ao nosso cliente, para que ele consiga conquistar vendas e, assim, a gente conquista nosso objetivo, que nosso cliente chegue ao sucesso. Se nosso cliente está satisfeito, a gente está satisfeito”, comentou Antônio Manzarra, diretor comercial da indústria cearense, que já se propôs a ser patrocinadora em 2020 e 2021. “Entendemos a importância do evento e temos total interesse em continuar patrocinando. Já oferecemos a proposta e aguardamos o feedback”, completou.

Quem realiza o Festival do Jeans garante que o sucesso é resultado, principalmente, da força empreendedora do povo, que tem buscado sempre fazer o melhor. “Este ano, o Festival trouxe uma magnitude muito forte. O que vimos nas passarelas mostra a importância que tem o jeans e o crescimento da cidade em termos de produção, evidenciando isso durante todo o ano. Porque o Festival não são apenas três dias de negócios, mas o ano inteiro”, destacou Douglas Costa, presidente da Associação Comercial e Industrial de Toritama, realizadora do FJT.

Para o prefeito da cidade, Edilson Tavares, o Festival consolida a atração de novos negócios e agora, em sua maioridade, mostra para que veio. “Esse é o maior evento de moda da nossa região e ele é uma coroação, uma plataforma extraordinária de promoção da nossa imagem. Eu fico muito satisfeito de, este ano, termos superado todas as nossas metas, com recorde de público e de empresas participantes”, ressaltou. A Prefeitura de Toritama é um dos apoiadores do Festival.

À frente da direção do evento pelo terceiro ano consecutivo, o produtor Thiago Alexandre frisa que o sucesso é resultado de muitas mãos trabalhando juntas pelo crescimento do Festival. “É preciso agradecer muito o apoio de todo o mundo que deu as mãos para que tudo isso desse certo; a todos que investiram no evento, que acreditaram no projeto, levando o nome de Toritama, e a potência que a cidade e o estado têm, não só para o Brasil, mas para o mundo”, concluiu.

Este ano, o Festival do Jeans de Toritama contou com o patrocínio master da Santana Textiles e com o apoio da Prefeitura de Toritama, Covolan Têxtil, Jolitex Denim, Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco e AD Diper. Com realização da Associação Comercial e Industrial de Toritama (Acit) e direção de Thiago Alexandre, o FJT teve quase 60 marcas participantes e mais de 15 atrações musicais.

Para não dizer que não falei da filosofia

Não obstante ao contexto de conflitos e controvérsias, nunca talvez tenha se falado tanto de filosofia e de ciências humanas no Brasil como atualmente. Presente em todos os tempos, a filosofia enquanto manifestação própria da inquietude do espírito humano aflora ainda mais em momentos de crise, em momentos decisivos, em momentos nos quais é necessário refletir sobre o que realmente importa e faz sentido.

Mesmo para criticá-la e classificá-la como “inútil”, a filosofia parece nos obrigar a utilizá-la. Afinal é preciso refletir e expor argumentos, de maneira que esse exercício se torna uma prática autodestrutiva que traz como uma de suas piores consequências a desumanização. Negar ao ser humano a capacidade de refletir, duvidar, questionar é tentar diminuí-lo, descaracterizá-lo, aliená-lo, convertê-lo em marionete e impedi-lo de manifestar seu potencial criativo e transformador de si mesmo e do seu mundo.

Se é possível afirmar que o ser humano é um discurso a ser dito, se a palavra possui um potencial criador, então negar a filosofia e o filosofar é negar o próprio ser humano e todo seu potencial. Em sua aula inaugural no Collège de France em 2 de dezembro de 1970, Michel Foucault afirmou que há em nossa sociedade uma profunda “logofobia” (medo da palavra) de tudo que possa ser dito de descontínuo, de combativo, de perigoso, como uma espécie de zumbido incessante do discurso.

E não por acaso, a educação, embora seja, por direito, o instrumento por meio do qual o indivíduo pode ter acesso a qualquer tipo de discurso, é entendida por Foucault como “uma maneira política de manter ou modificar a apropriação dos discursos, com os saberes e os poderes que eles trazem consigo”. Mas como é possível pensar uma educação e em um sistema educativo desprovido de filosofia e do filosofar, se a educação mesma é em si uma atividade filosófica?

Nesse sentido, Descartes (1596-1650) afirmou que “viver sem filosofar é o que se chama ter os olhos fechados sem nunca os haver tentado abrir”.  Na capacidade de filosofar está contida em potência a possibilidade de ser, estar e fazer a diferença no mundo.

Autor: Prof. Dr. Luís Fernando Lopes, filósofo, teólogo e coordenador do curso de licenciatura em Filosofia do Centro Universitário Internacional Uninter

Facebook

x