quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Resíduos da Construção Civil

Uma ótima iniciativa da Prefeitura Municipal de Caruaru será o reaproveitamento dos resíduos da construção civil. Chamados de entulhos ou metralhas, eles são coletados nas obras públicas do município e serão transformados em matéria-prima para outras obras. Todos os meses são recolhidas, aproximadamente, duas mil toneladas desse material. Seria interessante a ampliação desta ação para todos os resíduos desse setor gerados em nosso município, já que a construção civil é responsável pelo consumo de 50% de todos os recursos naturais renováveis e não renováveis. Esse desperdício e esse descarte dos resíduos geram altos custos para a sociedade e para o meio ambiente.

O descarte de forma inadequada vai gerar, além da poluição visual, impactos sanitários e ambientais relacionados às deposições dos entulhos: o comprometimento do tráfego de automóveis, a produção de moradias para animais peçonhentos e venenosos, interrupção da drenagem das águas e o favorecimento da multiplicação de vetores de doenças, como ratos, baratas, moscas, vermes e formigas – uma vez que esse materiais levam mais tempo para decomposição em relação aos outros tipos. Visando atenuar a problemática, a Resolução do Conama 307/2002, com as alterações da Resolução 348/2004, estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil – sejam das construções, demolições, reformas, reparos ou escavações. Estes resíduos são classificados em quatro categorias:

Classe A – resíduos reutilizáveis ou recicláveis;
Classe B – resíduos recicláveis para outras destinações;
Classe C – resíduos para os quais ainda não existe tecnologia ou aplicação economicamente viável que permitam sua reciclagem ou recuperação;
Classe D – resíduos nocivos à saúde.

O art. 3.º, item IV da referida Resolução passou a incluir na Classe D, que relaciona os resíduos perigosos (tintas, solventes, óleos e outros) também as telhas, tanques e demais objetos que contenham amianto ou outros produtos nocivos à saúde. Outro trabalho importante é a orientação no manejo dos materiais utilizados na construção civil, para todos os envolvidos na cadeia, desde a produção até o consumidor final, com o objetivo de diminuir o desperdício e a grande produção de entulhos. Com a reciclagem e a reutilização, teremos aproximadamente 40% de economia em relação ao descarte dos resíduos em locais apropriados.

Ambiente limpo não é o que mais se limpa e sim o que menos se suja.
Chico Xavier

Coluna Esplanada

Brasília, quarta-feira, 16 de outubro de 2019 – nº 2.638.

Incra(encado)

O Secretário Especial de Assuntos Fundiários, o ruralista Nabhan Garcia (amigo do presidente Jair Bolsonaro), e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, duelam pela indicação do futuro presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). O atual, o general João Carlos de Jesus Corrêa, e três dos principais diretores do órgão – também militares – não aparecem há mais de uma semana no órgão, contam fontes. Ele teria sido demitido, informalmente, pela ministra. Embora a assessoria do INCRA negue, o clima é tenso, e o órgão segue em compasso de espera, sem quem assine pelos documentos.

Bateu pé

Apesar do clima de guerra do andar de cima, não havia exoneração no Diário Oficial até ontem. Nabhan avisou a Bolsonaro que não abre mão da indicação.

Que Crise?

Desgastado em Brasília, o senador Fernando Bezerra demonstra força em Pernambuco, sua terra. Acaba de filiar o filho prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, ao MDB.

Colheita tardia

A PF chegou quase um ano atrasada aos escritórios do PSL de Pernambuco. Quando estourou o caso do ministro do Turismo, em Minas, os diretórios queimaram o laranjal.

Defesa antiaérea

O programa de Defesa Antiaérea, desenvolvido pelo Exército e previsto para ser concluído em 2039, precisaria de cerca de R$ 3 bilhões em investimentos, ou seja, R$ 110 milhões por ano. O orçamento destinado ao Exército para o setor ficou em R$ 30 milhões anuais. A defasagem de recursos também compromete o monitoramento das fronteiras do Brasil.

Devagar, mas firme

Atualmente, o Sistema de Monitoramento de Fronteiras cobre 650 quilômetros, e precisa ser expandido, pois são 17 mil quilômetros de fronteira no total. Das nove fases do programa, iniciado em 2012, apenas a primeira foi concluída. A segunda fase, em andamento, prevê a ampliação do Sisfron na região Sul, nos limites do Paraná e Santa Catarina com o Paraguai, e, no Norte, na divisa do Amazonas com a Colômbia e Peru.

BB’ug

O Banco do Brasil, que já registrou lucro líquido bilionário no semestre, deixou os clientes na mão com inconsistências nos app de celulares e transações nos caixas eletrônicos na segunda e ontem. A assessoria garantiu que tudo foi resolvido ontem.

Larica federal

A PF de São Paulo puniu com advertência o servidor administrativo J.D.C. esta semana. Em 9 de novembro de 2018, ele foi flagrado com maconha no embarque de um voo.

Uso medicinal

Enquanto os laboratórios estrangeiros são barrados para produção no Brasil do canabidiol, há esforço no Congresso. A comissão que analisa o PL 399/15, que permite a comercialização de medicamentos da cannabis sativa , definiu o cronograma de trabalho. O texto altera a política nacional antidrogas e permite a comercialização de medicamentos que contenham extratos, substratos ou partes da planta.

Atenção: medicial

A comissão especial é presidida pelo deputado Paulo Teixeira (PT-SP). O parlamentar diz ser urgente que a sociedade compreenda que está sendo discutida a liberação de medicamentos – e não da droga.

Fiquei, gente

O Governo de Goiás informou que – ainda bem! – a primeira dama Gracinha Caiado conseguiu cancelar sua viagem para Roma, e não houve prejuízo de R$ 19 mil para os cofres públicos. Foi milagre da Santa Dulce dos Pobres – que pagariam a conta.

Imprensa

Cada dono de jornal merece um troféu diário no Brasil. Chegar ao cinquentenário, então, é para poucos nesses tempos. A Coluna bate palmas para nosso parceiro Tribuna da Bahia, que completa 50 com festa na segunda, 21, em Salvador.

ESPLANADEIRA

# A Sonata para Violão de Ricardo Tacuchian, por Mario da Silva, será amanhã na Sala Cecília Meireles, no Rio.
# Editora Alta Books lança o livro “O Fim da Idade Média e o Início da Idade Mídia” do publicitário Walter Longo

Semana da Saúde Bucal oferece atendimento à população

Uma série de serviços odontológicos serão disponibilizados à população durante a 8ª Semana da Saúde Bucal, promovida pela Associação Comercial e Empresarial de Caruaru (Acic), entre os dias 16 e 18 de outubro, no Shopping Difusora. O evento visa proporcionar e ampliar as oportunidades de cuidados com a saúde da boca, já que mais da metade dos brasileiros não têm o hábito de ir ao dentista anualmente, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Durante os três dias, das 9h às 17h, no Espaço Difusora (localizado no 5º piso do mall), a população terá acesso a consultas, palestras educativas sobre atenção à saúde bucal infantil e orientações à escovação, com a participação do Projeto de Extensão Mestres do Sorriso. Haverá ainda alerta para a prevenção e diagnóstico precoce de lesões bucais, em parceria com a equipe do Projeto Asa Branca de Combate e Prevenção ao Câncer de Boca. Todos os procedimentos serão desenvolvidos por estudantes e profissionais de odontologia da Asces-Unita e, quando necessário, o paciente será encaminhado à clínica odontológica do Centro Universitário, para acompanhamento.

Câncer de Boca

O Câncer de Boca é considerado um dos mais agressivos do tipo, por isso a importância do diagnóstico precoce. Os últimos dados fornecidos pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA), em 2018, indicam 14,7 mil casos de câncer de boca– sendo 11,2 mil em homens e 3,5 mil em mulheres.

AgresteMED

A Semana de Saúde Bucal faz parte da AgresteMED, promovida pela Acic, a Asces-Unita e o Conselho Regional de Odontologia de Pernambuco (CRO – PE) com o objetivo de auxiliar no desenvolvimento, melhoria e empreendedorismo no setor de saúde.

O evento também conta com cursos e palestras para profissionais da área de odontologia, nos dias 17 e 18, no Teatro do Shopping Difusora.
Na quinta-feira (17), a partir das 8h30, haverá o “Ciclo de Atualização para os Cirurgiões-dentistas”e cursos voltados para auxiliares e técnicos em Saúde Bucal. Já na parte da tarde, haverá “Meeting de Estética Bucal”.
E na sexta-feira (18), “Meeting de Empreendedorismo”. As inscrições podem ser feitas na Delegacia do CRO – PE. Para mais informações, basta ligar para o 81 3721-2489 ou para o 81 98835-1093. O Shopping Difusora, a Dental Marfim e Doc Face apoiam a iniciativa.

Projeto social da Prefeitura de Caruaru encerra 21º FESTIC

O Projeto Juventude Vitalina participou, na noite do último domingo (13), do 21º Festic – Festival de Esquetes e Teatro Infantil de Caruaru. O grupo formado por jovens do Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Fernando Lyra (CCFV) fez o encerramento do evento com uma apresentação cultural do folguedo popular Cavalo Marinho, através do espetáculo “Brincantes”, dirigido pelo oficineiro Wesklei Mardone. Além dos jovens, a apresentação envolveu seis músicos-cantores e dois técnicos.

Financiado pela Fundação Itaú Social e executado pela Prefeitura de Caruaru, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SDSDH), o Projeto Juventude Vitalina é também acompanhado pelo Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e Adolescentes (Comdica). O intuito é estimular o protagonismo juvenil, a cidadania e a participação social de jovens caruaruenses de 12 a 17 anos por meio da realização de palestras nas escolas municipais e oficinas nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras). O elemento teatral também é explorado no projeto.

O Festic aconteceu entre os dias sete e 13 de outubro, com 36 apresentações teatrais, cinco oficinas de formação (uma delas voltada para as crianças da Casa de Acolhimento Institucional da SDSDH), dois lançamentos de livros e diversos debates com os realizadores. Com mais de 50 inscritos, entre espetáculos e esquetes de todo país, a 21ª edição do evento se consolida como um dos maiores festivais teatrais no Nordeste.

15 de outubro: Dia do Professor

Na semana das crianças e dos professores, é preciso ressaltar relações

Doze de outubro, Dia das Crianças.  Quinze de outubro, data reservada aos Professores. Então, hoje é dia de destacar a relação destes profissionais com os pequenos.

Professores são aquelas pessoas que se fazem presentes por toda vida, mesmo quando distantes, deixam marcas pelo trabalho realizado. Na infância a relação é direta e ainda mais próxima. Depois da família, são eles os primeiros adultos com quem temos contato direto. Responsáveis pela educação formal, eles acabam absorvendo muitas vezes outras funções. Ao acompanhar treinamentos e competições paradesportivas, é possível perceber a força de alguns destes laços.

Uma das maiores barreiras encontradas pelas pessoas com deficiência é justamente o processo de socialização. Ter uma limitação física ou intelectual não diminui a importância do contato com outro. E o esporte é uma ferramenta (que fique bem claro, não a única) que permite a saída do deficiente desta bolha familiar. Nesta situação, o papel desempenhado pelos professores é fundamental. Não é fácil para os pais verem filhos com necessidades específicas alçarem “voo solo”. Treinos e competições em locais distantes de casa só são possíveis se a relação entre mestres e alunos for construída com respeito e confiança.

Relação que começa, muitas vezes, na detecção de um talento em potencial. Daniel Rodrigues, um dos melhores brasileiros do tênis em cadeira de rodas, descobriu a modalidade após a recomendação de um professor. E não foi de educação física. Foi o responsável pelas aulas de história quem se surpreendeu ao ver o garoto com deficiência em uma das pernas jogando handebol e futebol, como goleiro, e o indicou para uma instituição de esportes para deficientes em Belo Horizonte. Daniel conta que a admiração do professor era tão grande que ele levava turmas para assisti-lo praticando esportes. E que a recomendação veio porque o professor sabia o que era conviver dentro da família com pessoas com deficiência. Adulto e com a carreira consolidada no esporte, o tenista não tem mais contato com o mestre. Mas a lembrança ficou e também a certeza de que a vida dele seria totalmente diferente não fosse o encaminhamento recebido durante a aula.

É fundamental lembrar também daqueles professores que, por opção ou necessidade, não trabalham com o alto rendimento, mas que constroem laços no esporte de participação, respeitando o direito das pessoas com deficiência de serem inseridas no ambiente esportivo. Juntos, eles vibram, se emocionam e também aprendem. Afinal, quem convive no ambiente escolar sabe que nunca é tarde para absorver novas lições.

Por William Douglas é comentarista do programa Stadium da TV Brasil.
Agência Brasil

Governo vai propor fim da multa de 10% do FGTS para empregador

A partir do próximo ano, os empregadores podem deixar de pagar a multa adicional de 10% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, disse ontem (14) que a extinção da multa deverá constar de uma mensagem modificativa da proposta de Orçamento para 2020.

O fim da multa abrirá uma folga de R$ 6,1 bilhões no teto de gastos para o próximo ano. Isso porque o dinheiro da multa adicional deixará de passar pela conta única do Tesouro Nacional, não sendo mais computado dentro do limite máximo de despesas do governo.

Atualmente, as empresas pagam 50% de multa nas demissões. Desse total, 40% ficam com o trabalhador. Os 10% restantes vão para a conta única do Tesouro Nacional, de onde são remetidos para o FGTS.

A engenharia para transferir os recursos da multa extra ao FGTS pressiona o teto de gastos. Mesmo o governo não gastando nenhum recurso da multa de 10%, a simples passagem do dinheiro pela conta única do Tesouro é registrada no cálculo do teto de gastos.

O sistema atual reduz o espaço do governo para executar despesas discricionárias (não obrigatórias), como investimentos e gastos com a manutenção de órgãos e de serviços públicos (como água, luz, telefone e limpeza).

A mudança depende de medida provisória (MP) ou de projeto de lei e precisa ser aprovada pelo Congresso. O relator da medida provisória que libera os saques do FGTS, deputado Hugo Motta (Republicanos-PB), incluiu o fim da multa de 10% do empregador no texto. No entanto, o secretário especial de Fazenda disse que o governo pode incluir a extinção da multa na MP que modifica o Orçamento.

“Essa multa já cumpriu sua função, foi constituída na década de 1970. Ela onera o empregador e traz um incentivo não desejável ao mercado de trabalho. A medida tem um efeito fiscal, mas do lado da oferta traz melhoria no custo de contratação”, disse Rodrigues.

O secretário especial disse que a MP com a mensagem modificativa do Orçamento apresentará outras medidas para “recompor o limite orçamentário de 2020”. O secretário, no entanto, não adiantou nenhuma outra ação.

Cessão onerosa

No início da noite, o governo anunciou a liberação de R$ 7,27 bilhões do Orçamento de 2019 por causa da inclusão de recursos de dois leilões do petróleo no cálculo de receitas e despesas.  Além do leilão da cessão onerosa, a ser realizado em novembro, o governo incluiu a arrecadação de R$ 8,9 bilhões do leilão da concessão de petróleo na camada pós-sal, ocorrido na semana passada.

O leilão de 5 bilhões de barris excedentes na cessão onerosa renderá R$ 106,6 bilhões ao governo, dos quais o governo conta com R$ 70 bilhões da Petrobras garantidos. Desse total, R$ 52,5 bilhões entrarão no caixa do governo neste ano, sendo usados para descontingenciar (desbloquear) o Orçamento, e R$ 17,5 bilhões serão pagos em 2020.

O secretário-adjunto de Gestão Orçamentária, Bruno Grossi, explicou que o montante de R$ 17,5 bilhões não alivia o cenário de gastos para 2020. Isso ocorre porque a proposta orçamentária do próximo ano está limitada pelo teto de gastos. Para que o dinheiro da cessão onerosa possa ser gasto sem pressionar o limite de gastos, o governo precisa modificar o Orçamento no Congresso, o que ocorrerá “provavelmente” por meio de medida provisória.

Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil 

 

Publicado decreto que regulamenta o trabalho temporário

O decreto que regulamenta o trabalho temporário, e que trata a Lei nº 6.019, de 3 de janeiro de 1974, está publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira (15). O documento assinado nessa segunda-feira (14) pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, define trabalho temporário como “aquele prestado por pessoa física contratada por uma empresa de trabalho temporário que a coloca à disposição de uma empresa tomadora de serviços ou cliente, para atender à necessidade de substituição transitória de pessoal permanente ou à demanda complementar de serviços”.

O decreto diz ainda que ao trabalhador temporário são assegurados direitos como: remuneração equivalente àquela percebida pelos empregados da mesma categoria da empresa tomadora de serviços ou cliente, calculada à base horária, garantido, em qualquer hipótese, o salário-mínimo regional; pagamento de férias proporcionais, calculado na base de um doze avos do último salário percebido, por mês trabalhado.

A jornada de trabalho será de, no máximo, 8 horas diárias, podendo ter duração superior a 8 horas na hipótese de a empresa tomadora de serviços ou cliente utilizar jornada de trabalho específica. “As horas que excederem à jornada normal de trabalho serão remuneradas com acréscimo de, no mínimo, 50%, e assegurado o acréscimo de, no mínimo, 20% de sua remuneração quando trabalhar no período noturno”.

Sobre a empresa prestadora de trabalho temporário, o decreto diz que ela fica obrigada a apresentar à fiscalização, quando solicitada, o contrato celebrado com o trabalhador temporário, a comprovação do recolhimento das contribuições previdenciárias e os demais documentos comprobatórios do cumprimento das obrigações estabelecidas pelo decreto que regulamenta a atividade.

Leia o Decreto nº 10.060, de14 de outubro de 2019, que regulamenta o trabalho temporário. Ele entra em vigor a partir de hoje, data de sua publicação.

Por Agência Brasil

Confira as 35 vagas de emprego para esta terça-feira (15)

As Agências do Trabalho estão com vagas de emprego abertas para esta terça-feira (15) em Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe, Serra Talhada e Arcoverde. No total, são 35 oportunidades.

Em Caruaru, os interessados podem se dirigir até a Rua Padre Antônio Tomáz, número 127, no bairro Maurício de Nassau. O atendimento é das 7h às 13h. O telefone para contato da Agência do Trabalho é o (81) 3719-9480.

Nos demais municípios, os candidatos precisam comparecer a unidade mais próxima da Agência do Trabalho ou acessar o site do Ministério do Trabalho.

Confira as vagas disponíveis:
Arcoverde
Auxiliar de mecânico de autos – 1
Agente de microcrédito – 1
Cobrador externo – 1
Motorista de automóveis – 1
Pizzaiolo – 1

Caruaru
Ajudante de eletricista – 2
Analista de programação e controle da produção – 1
Auxiliar de vidraceiro – 2
Costureira em geral – 1
Oficial de manutenção predial – 1
Promotor de vendas – 2
Servente de limpeza – 1
Vendedor pracista – 2

Serra Talhada
Agente de microcrédito – 1
Analista de suporte técnico – 1
Técnico de apoio ao usuário de informática (helpdesk) – 2

Santa Cruz do Capibaribe
Ajudante de eletricista – 1
Colorista – 1
Cozinheiro geral – 1
Costureiro, a máquina na confecção em série – 5
Eletricista de rede – 1
Estampador de tecido – 1
Garçom – 1
Montador de móveis de madeira – 1
Operador de máquina de bordar – 1
Vendedor interno – 1

Fonte: G1 Caruaru

Congresso de Direito Asces-Unita debaterá reformas em evidência no país

Nos dias 30 e 31 de outubro, profissionais e estudantes poderão participar do XX Congresso de Direito Asces-Unita. O evento será realizado no Centro de Convenções do Senac Caruaru e chega a sua 20ª edição como um dos mais tradicionais do interior pernambucano.

O congresso terá o tema: “Reformas e justiça social – O papel do Estado na promoção da cidadania, do direito ao trabalho e à cidadania”, acompanhando o importante momento de mudanças no país que impactam diretamente na vida de todos, assunto em bastante evidência na atualidade.

Para a coordenadora do curso de Direito da Asces-Unita, Marcela Proença, o tema foi escolhido para que os congressistas estejam por dentro não só das atualizações jurídicas e dos assuntos que influenciem em suas carreiras, mas também num contexto mais amplo. “Iremos abordar as reformas trabalhista e previdenciária partindo de um contexto mais amplo, como as questões sociais, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, entre outros pontos”, explicou.

Na programação, palestras como “Futuro próximo: proteção de dados e compliance”, “Prevalência do Negociado sobre o Legislado. Normas Coletivas, Conteúdo, Parâmetros e Limites” e “O Cenário da Previdência Social em Tempo de Reforma”, além de painéis e apresentações de trabalhos científico.

Profissionais da área jurídica e estudantes de outras instituições também podem participar. As inscrições podem ser realizadas no site www.asces-unita.edu.br

Gilmar Mendes está correto

Em decisão recente sobre o chamado caso Queiroz, que envolve o filho do presidente da República e senador pelo Estado do Rio de Janeiro, Flávio Bolsonaro, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes determinou a suspensão do processo em que foi indiciado e contém dados extraídos do Coaf sem a devida decisão judicial acerca da quebra do sigilo de dados dos investigado.

A decisão de Gilmar Mendes é coerente e acertada, uma vez que se baseia em decisão anterior do ministro presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, que em 15 de julho de 2019 DETERMINOU a suspensão de todos os inquéritos e processos judiciais em andamento em todo o território nacional, que utilizaram dados do Coaf, Bacen e Fisco, que versam sobre movimentação bancária, sem autorização judicial.

O combate à corrupção deve ser aplaudido e estimulado pela sociedade, mas deve passar invariavelmente pelo respeito mínimo às regras, procedimentos, códigos e posturas necessárias para a sua legitimidade. Os inquéritos policiais e procedimentos de investigação próprios do Ministério Públicos devem guardar higidez ao figurino legal, sem burlar as regras de direitos e garantias fundamentais.

Na Roma Antiga, foi governador Sula ou Sila, um militar e estadista eleito cônsul por duas vezes, em 88 e 80 a.C. O regime de Sula se apoiou em uma governança brutal, em uma política denominada de proscrições, onde se elegia ao bel prazer do governante de ocasião os chamados inimigos do Estado, e determinava-se toda sorte de penas, banimentos, castigos, expurgos, sem julgamento ou direito de defesa, permitindo-se, inclusive, a execução sumária dos inimigos.

Os tempos são outros, mas a modernidade civilizatória não fez cessar o ópio embriagante do poder, dos excessos da sede de justiça sem respeito às fórmulas legais.

A Carta Política de 1988 (Constituição Federal) consagrou os dados bancários ou, em outros termos, o sigilo bancário, no rol de tutela de garantias constitucionais, umbilicalmente anotada e classificada como intimidade e vida privada. Ou seja, os dados bancários, fiscais, são direitos e garantias fundamentais insculpidos no artigo 5º, incisos X e XII, da
Constituição Federal. Desse modo, conclui-se que a inviolabilidade do sigilo de dados em toda a sua extensão (bancários, correspondência, celular, whatsapp, redes sociais), somente pode ser usado em inquéritos e processos por ordem judicial escrita e fundamentada.

O Ministério Público do Rio de Janeiro, sem autorização judicial, desprezou essa regra tão básica – intimidade e sigilo dos dados – e requereu dados fiscais diretamente aos órgão detentores da informação (Coaf, Bacen e Fisco), para instauração de procedimento investigatório criminal, atitude que afronta o artigo 5º, X, XII e LV da Constituição.

Assim, podemos concluir o seguinte: 1ª – A decisão de Gilmar Mendes é acertada, coerente, sendo uma replicação da decisão de Dias Toffoli, tema que ainda será julgado pelo plenário do STF; 2ª – O investigado Flávio Bolsonaro ainda não explicou publicamente e satisfatoriamente a sua relação com o outro elo da corrente o chamado “Queiroz”.

Flávio Bolsonaro deveria imitar Gilmar Mendes e fazer a coisa certa.

Publicidade

Facebook

x