quinta-feira, 13 de agosto de 2020

Saque do abono salarial do PIS 2018/2019 vai até sexta-feira

Os valores vão de R$ 84 até R$ 998, de acordo com a quantidade de dias trabalhados durante o ano-base 2017.

De acordo com a Caixa, os benefícios, que totalizam R$ 16,9 bilhões, foram liberados de forma escalonada para 22,5 milhões de beneficiários, conforme o mês de nascimento, e agora estão disponíveis para os nascidos em qualquer mês. Até maio, o banco pagou R$ 15,6 bilhões a 20,6 milhões trabalhadores.

O valor do benefício pode ser consultado no Aplicativo Caixa Trabalhador, no site do banco ou pelo Atendimento Caixa ao Cidadão, pelo telefone: 0800 726 0207.

Pode a sacar o abono o trabalhador inscrito no PIS ou no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2017 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos.

“Os titulares de conta individual na Caixa com cadastro atualizado e movimentação na conta, podem ter recebido crédito automático antecipado. Quem possui o Cartão do Cidadão e senha cadastrada pode se dirigir a uma casa lotérica, a um ponto de atendimento Caixa Aqui ou ir aos terminais de autoatendimento da Caixa para receber o abono”, informou o banco..

Segundo a Caixa, caso o beneficiário não tenha o Cartão do Cidadão ou não tenha recebido automaticamente em conta, ele pode retirar o valor em qualquer agência da Caixa, apresentando o documento oficial de identificação.

O trabalhador em empresa pública, com inscrição no Pasep, recebe o pagamento do abono pelo Banco do Brasil.

 

Por Agência Brasil
Foto: Portal Contábeis  

Programação do São João retorna nesta quarta em Caruaru

Após muita festa com forró e uma variedade de ritmos, a programação do São João de Caruaru faz uma pequena pausa nesta terça-feira (25). A parada, no entanto, é rápida, pois a animação junina já volta na quarta-feira (26) com shows nos polos dos Brincantes, do Repente e Juarez Santiago.

O Ciclo Junino da cidade será encerrado no domingo (30), com apresentações do cantador Santanna e do caruaruense Petrúcio Amorim.

Confira a programação:

Quarta-feira (26)
Polo dos Brincantes
16h: Escola Mundo Encantado
20h: Boi Mimoso
21h30: Quadrilha Animadrilha
23h: Quadrilha Dona Matuta

Polo do Repente
20h: Roda de Conversa com o Professor Carlos Sandroni – UFPE (Forró e Patrimônio Cultural e as Matrizes Tradicionais do Forró, Processo de Inventário, Dossiê, Registro e Salva Guarda)

Polo Juarez Santiago
20h – Trio Arco Íris
21h30 – Trio Forró Pesado
23h – Trio Brilho da Terra

Quinta-feira (27)
Polo dos Brincantes
16h: Cia Bacurau Cultural
20h: Ori Cia de Dança
21h30: Quadrilha Paraquadrilha
23h: Grupo de Dança Flor E Barro

Comida Gigante
– Maior Bolo de Macaxeira
Onde? Divinópolis, às 18h.

Polo do Repente
20h: De Repente Cinema – “Danado de Bom – A história do cantor e compositor João Silva” (Deby Brennand) Mediador Luciano Torres.
22h: DJ DuArt

Polo Juarez Santiago
20h – Trio Forró de Nós Todos
21h30 – Trio Forró do Bom
23h – Trio Fole de Ouro

Sexta-feira (28)
São João na Roça
Onde? Terra Vermelha
19h – Trio Forró De Mais
20h30 – Banda Capital Nordestina
22h39 –Banda Topázio

Polo dos Brincantes
16h: Quadrilha Madeira de Lei
18h:Pernas para Circular
20h:Quadrilha Mistura Matuta
21h: Quadrilha Luz do Candeeiro
22h: Dia internacional do Orgulho LGBT

Polo do Repente
18h: Profº. José Urbano (Apresentador – Desafios e Pelejas)
Declamador NaldoVenancio
Dupla de Repentistas João Lourenço X Hipolito Moura
21h30: CASA DO FORRÓ – SHOW COM KIKO GOMES

Comidas Gigantes
– Festival do Milho
Onde? Sítio Murici, às 18h.
– Salgadinho Gigante
Onde? Bairro do Salgado, às 20h.

Polo Juarez Santiago
19h – Trio as Fulô
20h40 – Trio Fuá
22h20 – Trio os 3 Que Eu Gosto
0h – Trio Café com Leite

Polo Mestre Camarão
20h – Klever Lemos
21h30 – Forró de Rabeca – Do Carmo
23h10 – Sil Morena
0h50 – Esaú e Banda

Pátio de Eventos Luiz Gonzaga
20h – Gilvan Neves
22h – Leo Santana
0h- Maciel Melo

Sábado (29)
Polo Alto do Moura
12h00 – Forró Brazzaville
14h30 – Sebastian Silva
16h30 – Eric Land

Polo Infantil
17h – Banda Sonho Mágico
18h – Rosimar Lemos

Polo dos Brincantes
16h: Escola São Lucas
19h30: Concurso de Quadrilhas de Caruaru

Polo do Repente
16h: CASA DO FORRÓ – ATIVIDADES CULTURAIS
18h: Profº. José Urbano (Apresentador – A história do repentista Caruaruensse Ivanildo Vila Nova)
Declamador Luciano Dionísio
Dupla de Repentistas Ivanildo Vila Nova xRaulino Silva
21h30: CASA DO FORRÓ – ATIVIDADES CULTURAIS – SHOW COM VALDIR SANTOS E CONVIDADOS

Comidas Gigantes
– Maior Quarenta
Onde? Santa Rosa, às 16h.
– Festa do Munguzá
Onde? 14 de julho, Centro, às 15h.
– Mata Fome Gigante
Onde? São João da Escócia, às 19h.
– Pela Jegue
Onde? Salgado, às 15h.

Polo Juarez Santiago
19h30 –Trio Expressinho do Forró
20h40 – Trio Vitalino
22h20 – Trio Pedrinho do Acordeon
0h – Trio Vai Hoje

Polo Mestre Camarão
20h – Kel Sales
21h30 – Michael Colorado
23h10 – Edi Lira
0h50 – Banda Xinelo Rasgado

São João na Roça
Onde? Gonçalves Ferreira
19h –Edmilson do Pife
20h30 –Banda Casca e Nó
22h39 –Gilvan Neves

Polo Monte Bom Jesus
16h – Grupo de Dança Pérola Negra
17h – Trio Bigodinho dos 8 baixos

Pátio de Eventos Luiz Gonzaga
20h -Valdir Santos
22h- Bruno e Marrone
0h – Avine Vinny

Domingo (30)
Polo Alto do Moura
12h – Ed Carlos
14h30 – Cheiro de Sanfona
16h30 – Geraldo Cardoso

Comidas Gigantes
– Maior Cozido de Milho
Onde? Indianópolis (parte alta), às 16h.
– Festa da Paçoca
Onde? Jardim Panorama, às 15h.
– Maior Bolo de Trigo do Mundo
Onde? Rendeiras, às 15h.

Polo dos Brincantes
16h: Colégio Jean Piaget
20h: Noite Junina da Mulheres
22h30: Molecodrilha

Polo do Repente
16h – CASA DO FORRÓ – ATIVIDADES CULTURAIS
18h – Profº. José Urbano (Apresentador – Quem foram os poetas Lídio Cavalcanti e Olegário Fernandes)
Declamador Davi Geffson
Declamador João Bosco do Pajeú
Dupla de Repentistas Raimundo Caetano x Rogério Meneses

Polo Juarez Santiago
20h – Trio Tabajara
21h30 – Trio Caçula
23h – Trio Preto do Leite

Polo Monte Bom Jesus
Santanna o Cantador
Petrúcio Amorim

Adolescentes matam menina de 14 anos, filmam tortura e são apreendidas

Uma menina de 14 anos foi morta por duas adolescentes de 15 anos na praia de Maria Farinha, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife, na manhã de terça-feira (25). A vítima foi torturada, esfaqueada, espancada e afogada. As suspeitas gravaram toda a sequência, compartilharam o vídeo nas redes sociais e foram apreendidas à tarde.

A gravação, de teor muito forte, circula na internet. Segundo informações preliminares da Polícia Civil de Pernambuco, o crime teria sido motivado por ciúmes. A vítima teria tido um relacionamento com uma das suspeitas, que atualmente namora com a outra suspeita pela morte.

As adolescentes de 15 anos que mataram a colega e divulgaram as imagens foram autuadas em flagrante por ato infracional equiparado a homicídio. Elas foram levadas para a Delegacia de Maria Farinha e prestaram depoimento ao delegado Álvaro Muniz, responsável pelo caso. Ainda de acordo com a polícia, vídeo e fotos da morte passarão por perícia.

Nas imagens, é possível ver a menina de 14 anos sendo torturada por uma das suspeitas enquanto a outra filma a sequência brutal. A vítima veste uma camisa da Rede Municipal de Ensino do Recife, que aparece com muito sangue. O Portal FolhaPE, em razão da extrema violência das imagens, não irá divulgar o conteúdo em respeito à família da vítima e aos leitores – pedimos, inclusive, que caso você receba, não veja nem compartilhe. O final da gravação mostra uma pessoa afirmando que “vai chamar a polícia”.

O corpo da adolescente foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), localizado no bairro de Santo Amaro, na área central da capital pernambucana. A Polícia Civil de Pernambuco prossegue com as investigações.

Folhape

Caruaru será o palco do maior cortejo junino do mundo

Pelo segundo ano consecutivo o maior e melhor São João do Mundo se despede dos brincantes com um cortejo à altura do evento. Quase mil artistas vão percorrer as ruas do centro da cidade mostrando toda a diversidade de manifestações, ritmos e cores que fazem dessa festa um acontecimento único. O grande Cortejo dos Brincantes no Auto das 7 Luas de Barro será composto por 14 blocos, com cada um deles levando para as ruas uma linguagem diferente: são bacamarteiros, quadrilhas, batuqueiros, repentistas, circenses, bandinhas de pífano e, claro, muito forró.

“Nossa ideia é que toda a arte e cultura que envolvem o São João possam estar representadas neste grande folguedo, que vai às ruas para celebrar e interagir com as pessoas, reafirmando a força de uma festa que dialoga diretamente com nossas raízes”, afirmou Karina Hoover, da Luni Áudio Produções, que realiza o projeto São João Cultural de Caruaru. Este é o terceiro ano seguido do polo que celebra a genuína cultura junina, integrando todas as idades e levando as manifestações tradicionais aos distritos.

O cortejo irá homenagear figuras importantes da cultura de Caruaru e de Pernambuco: Momoca Fogueteiro, Marlene do Forró, Severino Vitalino e Sebastião Biano, fundador da Banda de Pífanos, que completou 100 anos de vida no último dia 23. Biano, aliás, ganhou um documentário biográfico, exibido no dia 20 de junho, dentro da programação do São João Cultural.

A concentração começa por volta das 15h, no cruzamento das ruas Estácio de Sá com João Cursino. O desfile começa às 16h, atraindo quem estiver pelo caminho até a antiga Estação Ferroviária, onde funcionou o polo São João Cultural. Uma das preocupações dos organizadores foi garantir o respeito e a visibilidade às diferenças, por isso o evento irá trazer às ruas todas as expressões culturais do Estado, além de chamar a atenção para a importância em valorizar as verdadeiras festividades juninas. “Hoje podemos dizer que o grande Cortejo dos Brincantes se afirma como uma culminância da festa. Um momento de mostrar que a nossa arte está viva e resistente”, garante Walther Holmes, designer e cenógrafo e um dos responsáveis pelo São João Cultural.

São João Cultural – O projeto São João Cultural é desenvolvido pela Luni Áudio e prefeitura de Caruaru há três anos. Na edição 2019 o evento teve recursos assegurados via Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínios de Facebook Brasil, Uber, Chesf e Unimed Caruaru. Apresentações musicais, poesia, cinema, teatro e brincadeiras fazem parte da programação do São João Cultural, que tem como objetivo trabalhar as tradições e raízes da mais importante festa popular do Nordeste brasileiro.

Serviço

Cortejo dos Brincantes no Auto das 7 Luas de Barro

Data: Sábado (29/06)

Local: Cruzamento das ruas Estácio de Sá e João Cursino (Centro)

Hora: 15h (concentração).

Planeta Verde

Existem estações do ano diferentes por causa da inclinação do eixo do planeta Terra em relação ao Sol e, consequentemente, os raios incidem de formas diferentes sobre o globo. Portanto, teremos noites mais longas e dias mais curtos dependendo da época do ano. A palavra Inverno vem do latim hibernu, tempus hibernus, tempo hibernal, e faz referência ao ciclo biológico dos animais ao entrar em hibernação. A estação tem início no dia 21 de Junho de 2019 às 12h 54 min e termina em 23 de setembro de 2019 às 4h 50 min. Com a influência do El niño (fenômeno de aquecimento das águas do Oceano Pacífico), a previsão para esta estação é de que as chuvas serão abaixo da média, o calor acima do normal, o índice de umidade baixo e pouco vento, o que dificulta a dispersão de poluentes.

Diante desse cenário, ocorrerá o aumento de diversas doenças respiratórias e processos alérgicos, o fogo se espalha com mais facilidade, a evaporação aumenta, o nível dos reservatórios cai e o calor acelera o desenvolvimento dos mosquitos (muriçocas). Estudos mostram que em 86% do tempo as pessoas ficam em ambientes fechados, seja no ônibus, na escola, no trabalho ou no lazer. A aglomeração de pessoas nesse tipo de ambiente favorece a transmissão de vírus e bactérias. Alguns cuidados são necessários em nossa casa e trabalho:
Antes de usar as roupas e cobertores, que estavam guardadas o ano inteiro no guarda-roupa e ficaram com fungos (Mofo e bolores) e outros, precisamos lavar, secar ao sol e passar a ferro quente;
O guarda-roupa deve ser limpo com um pano umedecido com vinagre e deve ser deixado aberto para ventilação e para eliminação do mau cheiro;
Utilize um pano úmido para limpeza dos móveis e do chão;
Use o aspirador de pó para remover a poeira no sofá e no tapete;
Os bichos de pelúcia devem ser lavados à mão;
Na medida do possível, tente manter as portas e janelas abertas para ventilação; Evite tomar banhos mais quentes, eles podem remover a oleosidade natural da pele.
Qualquer problema na sua saúde, evite a automedicação. Procure um médico.

TRAGÉDIA DOS DESLIZAMENTOS

Na Região Metropolitana do Recife (RMR) ocorreram vários deslizamentos com perdas humanas. O deslizamento de terra é um processo de ordem geológica e climatológica que ocorre com o escorregamento de materiais sólidos. Existem três fatores que influenciam para que ocorra: o tipo de solo, a declividade da encosta e a água de embebição. Antes que ocorra o deslizamento é importante observar, alguns sinais como o surgimento de fendas, as depressões no terreno, as rachaduras nas casas, a inclinação dos troncos de árvores ou o surgimento de água. De forma resumida, para evitar o deslizamento, existem alguns cuidados básicos: preservar a vegetação das encostas, não jogar lixo, não dificultar a passagem natural da água, não mexer nas encostas com remoção de terra, evitar plantar árvores de grande porte como bananeiras ou qualquer espécie de vegetal com raiz axial ou pivotante. A vegetação mais adequada são raízes fasciculadas, que lembram uma cabeleira, que têm suas raízes espalhadas, proporcionando uma maior estabilidade da planta e do solo, temos como principais, exemplares: capim vetiver, capim braquiária, capim gordura, grama pé-de-galinha, grama forquilha e grama batatais, entre outras. Encontramos algumas destas espécies nas encostas da BR 232. Se você observar sinais de deslizamento avise imediatamente a Defesa Civil e ao Corpo de bombeiros.

RECUPERAÇÃO DA MATA CILIAR

Mata ciliar, mata de galeria, mata de várzea ou vegetação ripária é a formação vegetal encontrada nas margens dos rios, lagos, represas, nascentes e córregos incorporada no Novo código Florestal como APP – Área de Preservação Permanente. O Art. 4° do Cap. II das Áreas de Preservação Permanente determina medições para preservá-la de acordo com as medidas das bordas da calha do leito regular do corpo hídrico. A recuperação da mata ciliar não é um processo simples, é necessário um estudo complexo. As vantagens são inúmeras, como por exemplo:
1. Evita erosão e assoreamento do rio;
2. Minimiza a ocupação de construções irregulares;
3. Recupera a biodiversidade;
4. Conserva o solo;
5. Melhora a qualidade de vida;
6. Filtra os possíveis resíduos de produtos químicos;
7. Minimiza os efeitos das enchentes;
8. Melhora a quantidade e a qualidade da água;
9. Melhora a temperatura ambiente entre outras.

Os critérios utilizados na escolha das espécies vegetais:
1. Espécies nativas;
2. Vegetação com rápido crescimento;
3. Árvores de sombreamento;
4. Resistentes à variação de temperatura;
5. Que sirva de abrigo para diversas espécies.

“A ciência é, portanto, uma perversão de si mesma, a menos que tenha como fim último, melhorar a humanidade”.

Pesquisa: número de jovens no ensino médio aumenta 61% em 6 anos

O percentual de jovens nessa faixa etária que frequentam a escola também vem crescendo e chegou a 91,5% em 2018. Os dados estão no Anuário Brasileiro da Educação Básica 2019, divulgado hoje (25) pelo movimento Todos pela Educação em parceira com a Editora Moderna e traz dados organizados de acordo com as metas do Plano Nacional de Educação (PNE).

“É uma avanço estatisticamente significante, mas um avanço ainda tímido. O modelo que temos acaba fazendo com que adolescentes e jovens saiam da escola e, mesmo os que frequentam a escola, não veem um ambiente atrativo para seguir e encaixar a ideia de escolarização do ensino médio nos seus projetos de vida”, disse o coordenador de projetos do Todos pela Educação, Caio Callegari.

A conclusão do ensino médio na idade adequada ainda é um desafio, como mostram os dados do relatório. Em 2018, apenas 63,6% dos jovens de 19 anos matriculados concluíram o ensino médio. Em 2012, 51,7% dos jovens de 19 anos haviam concluído essa etapa do ensino.

Desigualdades

 

As desigualdades socioeconômicas e de raça têm peso no acesso ao ensino médio, como aponta o anuário. Em 2018, 75,3% dos jovens brancos de 15 a 17 anos estavam matriculados na etapa. Já entre os jovens negros da mesma faixa etária esse percentual era de 63,6%, uma diferença de quase 12 pontos percentuais.

O anuário mostra também as disparidades em relação à distribuição de recursos. Enquanto São Paulo recebe a maior média anual de recursos vinculados à educação por aluno, R$ 6,5 mil, o Maranhão está no outro extremo com R$ 3,5 mil por aluno ao ano.

“Boa parte das desigualdade educacionais está relacionada a desigualdade de financiamento tanto em relação a garantia de recursos mínimos quanto a gestão de recursos. Estamos dando menos recurso para quem tem que corrigir um passivo histórico de investimento em educação”, disse o coordenador de projetos do Todos pela Educação.

Professores

Em relação à formação dos professores a publicação mostra que desde 2012 houve aumento médio de cerca de cinco pontos percentuais no número de docentes com formação adequada para as disciplinas que lecionam.

Em 2018, 48,7% dos docentes dos anos finais do ensino fundamental, que vai do 6º ao 9º ano, tinham formação adequada. O dado representa um crescimento de 5 pontos percentuais em comparação a 2012. Já no ensino médio, essa taxa era de 56,3%, aumento de 5,4 pontos percentuais no mesmo período.

“A última década foi marcada por avanços importantes, mas que de forma nenhuma desligaram a sirene de urgência de mudanças estruturais na educação brasileira. Ainda estamos muito distantes das metas estratégicas do PNE”, disse Caio Callegari

Anuário Brasileiro da Educação Básica 2019 usa como base dados do Ministério da Educação e traz análises sobre os temas das 20 metas do PNE que foi sancionado em 2014 e estabelece metas para melhorar a educação até 2024.

Por Yara Aquino – Repórter da Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Ag. Brasil

 

Feriado de São João é marcado por muito forró e músicas românticas no palco do Pátio de Eventos

A última semana de festejos juninos do Maior e Melhor São João do Mundo iniciou, porém, com uma programação para ninguém botar defeito. Quem esteve em Caruaru pôde aproveitar para dançar muito forró, ouvir poesias, levar a criançada e curtir todas as atrações que se apresentaram nos polos de animação que fazem parte do São João de Caruaru.

Para abrir o polo mais frequentado da festa, a cantora mineira, Irah Caldeira, deu início aos shows desse feriado de São João. Com uma personalidade e carreira marcada pelo sentimento de nordestinidade, a artista segue a mesma estética musical os cantores Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Marinês, Dominguinhos e outros tantos que perpetuaram o autêntico canto sertanejo em forma de xote, baião, côco, xaxado, forró e toadas, o que foi bem marcado através de suas canções apresentadas nesta noite.

Desde 2013 sem se apresentar no palco do São João de Caruaru, Raimundo Fagner foi a segunda atração. Embalando o público ao som de suas canções românticas que falam de amor, o cantor trouxe em seu show grandes sucessos como “Deslizes”, “Borbulhas de Amor”, “Espumas ao Vento”, “Fanatismo”, e outroas que contagiaram ainda mais a animação de quem foi ao Pátio de Eventos neste feriado. Em clima junino, o artista também cantou o autêntico forró e canções marcadas pela época, como “Olha Pro Céu” de Luiz Gonzaga.

Encerrando mais um dia 24 de junho na Capital do Forró, foi a vez de Gustavo Mioto, que pela segunda vez consecutiva se apresenta no palco do São João da cidade. Conhecido pelo estilo e letras que falam de muito no amor, o cantor realizou um show de sucessos, com músicas cantadas por todos. Ao som de “Anti Amor”, “Contramão”, “Impressionando os Anjos”, e outros grandes hits, o artista levou o público ao delírio. Embalado no estilo romântico e ao mesmo tempo dançante os novos sucessos também foram cantados no palco, como “Solteiro Não Trai”, hit de maior sucesso do momento, além de “Fake News” e “Quem Não Presta É Eu”, fechando mais uma noite do Maior e Melhor São João do Mundo.

Foto: Alisson Lima

CaruaruPrev realizou tradicional café da manhã junino

O Instituto de Previdência Social do Município- CaruaruPrev, realizou, no dia 21, o tradicional café da manhã junino com comidas típicas, no Polo dos Brincantes, na Estação Ferroviária. Os aposentados e pensionistas dançaram muito forró ao som do trio pé de serra Carrapicho.

A presidente do CaruaruPrev, Ana Maraiza, comentou sobre a oportunidade de reunir todos os aposentados e pensionistas. “Por meio do decreto da prefeita Raquel Lyra, conseguimos fazer o pagamento antecipado, e aproveitamos para realizar esse momento festivo no São João, sabemos da importância dessa festa para”, disse Ana Maraiza.

 “Este é o segundo ano que participo, gostei muito do carinho e atenção de todos da equipe, a prefeitura está de parabéns por nos valoriza ainda mais com momentos como esses”, destacou a aposentada Edilene Leite.

Artes visuais tem seu espaço na exposição Cores da Terra no Polo da Estação Ferroviária

Em seu segundo ano, a exposição de arte Cores da Terra, mistura estilos e técnicas das artes visuais e acontece no Galpão da Estação ferroviária, de quarta a domingo, das 17h às 23h. com entrada gratuita.

O projeto foi idealizado e é desenvolvido pelo artista plástico e ceramista Humberto Botão, com curadoria assinada por Carlos Lima e foi aprovado através do edital de São João da prefeitura de Caruaru.
Todas as peças retratam o tema a partir da pintura, posca, escultura em cerâmica e madeira, talha, assemblage e intervenção artística em fotografia.

Além da exposição, este ano a novidade foi o projeto Ateliê Cidade, nele os artistas criam suas obras de arte ao vivo. Uma forma de mostrar ao público como funciona a execução das técnicas para a criação de cada peça. O projeto também contempla a acessibilidade, já que todas as obras estão descritas em braille e os monitores estão capacitados para realizar audiodescrição das obras.

_”Uma forma de inclusão e mais uma possibilidade de apresentar a arte dos nossos artistas a todos os públicos”_, ressaltou Humberto Botão, organizador da exposição.

A exposição vai até o dia 30 de junho e hoje acontece a última intervenção do projeto Ateliê Cidade.

Foto: Alisson Lima

Dia do Bacamarteiro é celebrado no Dia de São João com encontro de batalhões em Caruaru

No dia 24 de junho, quando é celebrado o Dia de São João pelo calendário católico, em Pernambuco é também o Dia do Bacamarteiro. A data especial foi comemorada em Caruaru nesta segunda-feira com um encontro de grupos no Estádio José Luiz de Lacerda (Lacerdão), onde cerca de 1280 bacamarteiros, de 15 cidades, participaram nas apresentações dos 37 batalhões que compareceram ao evento, do modo que eles mais gostam de celebrar: dando tiros de bacamarte.

Após as apresentações, os grupos seguiram em desfile pela Avenida Agamenon Magalhães, com muito forró pé de serra levado pelos batalhões, em direção à Estação Ferroviária. No local, um outro “batalhão” aguardava ansioso a chegada dos bacamarteiros que foram vistos passando pela avenida: o de turistas e visitantes. No Polo dos Brincantes (da estação) uma homenagem foi realizada para o saudoso bacamarteiro José Galvão, do Batalhão 16, de Lagoa de Pedra, zona rural de Caruaru, e todos os grupos receberam troféus de participação com a foto do homenageado.

“É uma emoção muito grande para mim e toda família poder estar aqui, mais uma vez, participando desse desfile na avenida. Eu só tenho a agradecer à Fundação de Cultura. É muito importante manter a tradição do meu pai, por isso eu cuido do Batalhão 16, junto com minha irmã e meus parentes”, declarou José Galvão Filho, ao receber a estatueta das mãos do Presidente da Fundação de Cultura e Turismo de Caruaru, Rubens Júnior.

O encanto se via no olhar de cada pessoa que observava o enorme cortejo dos componentes em seus trajes típicos na cor predominantemente azul, com lenços vermelhos no pescoço, chapéus e bacamartes nas mãos, como a carioca Rosimery Gomes. “Eu fiquei emocionada quando me deparei com esse batalhão enorme. Eu não sabia que existia bacamarteiro. E essa quantidade que foi, eu fiquei impressionada. Acabei tirando muitas fotos para guardar esse momento”, afirmou Rosimery Gomes.

Para a caruaruense Edileisa Maria Feitosa, de Lajedo do Cedro, zona rural de Caruaru, a emoção foi a mesma da carioca Rosimery. Ambas puderam ver pela primeira vez um encontro como esse. “Eu nunca tinha vindo nesse desfile. Para mim foi a primeira vez. Eu acho muito linda essa a tradição que se passa de pai para filho. Inclusive, meu marido está participando de um batalhão e eu quero ver meu filho participando também no ano que”, ressaltou.

*O que diz a tradição?*
De acordo com a lenda, os caruaruenses que lutaram na Guerra do Paraguai retornaram dando tiros para festejar a vitória e daí teria surgido os bacamarteiros, uma tradição mais antiga que o próprio município de Caruaru. O bacamarte, segundo o historiador José Urbano da Silva, é um arma criada pelos espanhóis no final do século XVII, nomeada pelos franceses como “Bacamarte”, utilizada também pelos ingleses nos processos de colonização.

A arma chegou ao Brasil no final do século XIX, durante o processo do Brasil contra o Paraguai na guerra, em 1865. Segundo o historiador, é uma arma que não serve para o combate, pois, por mais habilidade que o armamentista tenha, se demora pelo menos dois minutos para carregá-la, então não serve para combate. É uma arma pouco letal, que serve para se utilizar “de assalto”, ou seja, numa estratégia de invasão, onde o que se destaca é o estampido que “assombra” o inimigo.

Sobre a vestimenta dos participantes dos batalhões, o tecido de brim azul é uma mudança feita na estética do cangaço por Lampião, que após um encontro com Padre Cícero em 1926, no Juazeiro, fez uma promessa ao padre e à Nossa Senhora da Conceição, e a partir daí começou a utilizar a cor como proteção e apoio imaginário ao manto de Nossa Senhora. Antes, a cor utilizada pelo bando era o brim bege, mais fácil de se camuflar na caatinga.

Foto: Jorge Farias

Publicidade

Facebook

x